terça-feira, 7 de outubro de 2008

Bahia mantém tradição e supera o Vila Nova

Comentários
Assim como já havia ocorrido nas estréias de Arturzinho e Roberto Cavalo, o Bahia reagiu com a estréia do técnico Ferdinando Teixeira e venceu o Vila Nova por 3 a 2 nesta terça-feira, em partida válida pela 30º rodada, no Estádio Jóia da Princesa. O time tricolor foi aos 42 pontos e pulou para a 10º colocação, enquanto a equipe goiana permaneceu com 51 pontos na segunda colocação. No entanto, a 30º rodada ainda tem oitos jogos a serem disputados que podem alterar a posição atual dos dois clubes.

O Bahia volta a campo somente no dia 18, às 16h, para enfrentar o Corinthians. Havia a esperança da partida marcar a reinauguração do Estádio de Pituaçu, mas, devido aos sucessivos atrasos nas obras, a partida será realizada em Feira de Santana mesmo. O Vila Nova volta a jogar na próxima terça-feira, dia 14, às 20h30, contra o Santo André, na cidade do mesmo nome, no Estádio Bruno José Daniel.

O jogo começou e as duas equipes faziam uma marcação muito forte começando no próprio campo de ataque. O Bahia tocava bem a bola com velocidade, mas até os 15min não havia criado uma jogada de grande perigo. O Vila Nova saia para o ataque, mas a defesa do anfitrião conseguia se safar.

Aos 16min o lateral-esquerdo Ávine fez grande jogada colocando a bola por debaixo das pernas do marcador, mas quando cruzou, a bola esbarrou no braço defensor do Vila Nova. Os jogadores do Bahia pediram pênalti, mas o juiz não marcou.

Aos 25min O Vila Nova abriu o placar com seu artilheiro. Pedro Júnior cruzou da esquerda e Túlio Maravilha, na pequena área, dominou no peito e chutou forte no fundo das redes, placar 1 a 0 Vila Nova. O Bahia respondeu três minutos depois quando Emérson Cris mandou a bola na trave do goleiro Max.

O Bahia continuou lutando e aos 35min conseguiu o empate. Paulo Roberto cruzou da esquerda e o atacante Marcelo Ramos mergulhou de cabeça jogando a bola no fundo das redes, placar 1 a 1. A equipe tricolor se animou no jogo e aos 39min virou o placar. Em mais um cruzamento da esquerda, mas dessa vez a bola saiu dos pés de Ávine, a zaga do Vila tirou. No entanto, a pelota rebateu no meia Danilo Cruz e foi ao fundo do gol, placar 2 a 1 Bahia.

Aos 41min o Bahia saiu no contra-ataque com dois jogadores contra outros dois do Vila Nova. No passe final de Marcelo Ramos para o zagueiro Rogério, que estava dando uma de atacante, a defesa goiana conseguiu interceptar.

O Vila Nova começou o segundo tempo pressionando disposto a empatar a partida. Mas o Bahia foi mais competente e logo aos 3min o Tricolor fez o terceiro gol. Em jogada de contra-ataque, Paulo Roberto tocou para Emérson Cris que fez o porta luz e o volante Willames recebeu e depois tocou para Marcelo Ramos, que chutou com categoria no fundo das redes, placar 3 a 1 Bahia.

O Vila Nova tentava diminuir o placar, mas a defesa do Bahia conseguia afastar o perigo. A partir dos 20min o anfitrião passou a administrar mais a posse de bola e aproveitava as jogadas em contragolpes.

Aos 28min O Vila Nova conseguiu diminuir. Pedro Júnior cruzou pela esquerda, Túlio escorou de cabeça para Amaral que livre na pequena área chutou forte de para o fundo das redes, placar 3 a 2 Bahia. O Vila Nova seguiu pressionando, mas o Bahia se segurou e terminou o jogo com a vitória.

BAHIA

Darci; Rogério Rios (Fábio), Rogério, Cléber Carioca, Marcone e Ávine; Émerson Cris (Rafael), Williames e Danilo Cruz (Anananias); Marcelo Ramos e Paulo Roberto..
Técnico: Ferdinando Teixeira.

VILA NOVA

Max; Marcel, Luís Carlos, Carlinhos e Osmar, Alisson, Heleno (Amaral), Reinaldo (Guilherme) e Caico (Bruno Batata); Túlio e Pedro Júnior.
Técnico: Givanildo Oliveira.

Data: 07/10/2008
Local: Estádio Jóia da Princesa, em Feira de Santana
Público: 1.714 pagantes
Renda: R$ 18.180,00
Árbitro: Arnoldo Vasconcelos Figarela /RO
Auxiliares: Carlos Jorge Titara Rocha /AL e Pedro Jorge Santos de Araújo /AL
Cartões amarelos: Pedro Júnior, Heleno, Willames

Confira a 30ª rodada da Série B:

Terça-feira
São Caetano-SP 1 x 0 Marília-SP
Bahia-BA 3 x 2 Vila Nova-GO

Volante Fausto denuncia perseguição pessoal

Comentários

Quatro cartões vermelhos no brasileiro da série B, uma série de atuações irregulares e o volante Fausto ganhou uma legião de tricolores raivosos no seu encalço. No site de relacionamento Orkut, eles se proliferam. Mas, segundo ele, a perseguição que mas incomoda é da imprensa. “São duas pessoas de rádio, que especificamente. Eu não posso citar os nomes porque hoje tudo dar processo, mas é coisa pessoal. Não tem nada haver com o atleta Fausto” O Jogador teria sido acusado de trabalhar para a saída do técnico Roberto Cavalo e criar ambiente ruim dentro do grupo.

“ É mentira de quem disse. Isso não faz parte do meu caráter, da minha índole. Como já disse, são duas pessoas e eu sei os motivos” Qual? “ “Dinheiro” emenda, sem entrar em maiores detalhes. Um desacerto na renovação do seu contrato teria motivado tudo. Agora, a situação chegou ao limite. “A diretoria está a par de tudo”

Fausto faz questão de deixar claro que não tem queixas no trabalho de Roberto Cavalo, a quem se referiu como muito atencioso. “ No futebol, as coisas são assim. Quando os resultados não vêem, o treinador sai” minimiza. Insatisfação no grupo? Claro que há. Quem não vinha jogando já dava sinais de desgaste com o antigo treinador. “Num grupo de 37 jogadores, é difícil não haver insatisfação. Todo mundo quer jogar”

É inegável, no entanto, que as expulsões se acumularam na gestão de Roberto Cavalo. Sob a batuta do treinador, foram 3 vermelhos em nove rodada. Pior, para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva o deixou de molho por outras duas partidas.

Coincidência ou não, Fausto era um dos maiores defensores do técnico Arthurzinho. Para ele, tudo não passa de uma má fase. “Jogador de futebol é assim. Estou vivendo um momento ruim com o grupo” Garante

Paulo Roberto é a primeira opção de caixa do tricolor

Um novo talento das divisões de base pode mesmo repetir o caminho trilhado por Danilo Rios, Rafael Bastos, Alselmo Ramon, Eduardo e companhia nos últimos 2 anos. Paulo Roberto segue despertando o interrese de clubes e empresários. “ A gente pediu um pouco salgado e eles quiseram um tempo” admitiu o diretor de futebol, Rui Accioly. O Bahia teria pedido R$ 1 milhão por 50% dos direitos econômicos do atacante com a condição de só liberar o atleta na temporada 2009.

“ Eles queriam o jogador ainda para serie A” Completou Accioly. Eles quem? “A Gente nunca sabe. Negociamos Elias com Eduardo Uram ( empresário), para ele jogar no Fluminense, e, no final, era a Abillity quem estava pagando” lembrou. O atacante tem contrato com o Bahia até 1º de junho de 2011

Dudu Fontes dá adeus ao clube.

Com a chegada do preparador físico Ranielli Ribeiro, Eduardo Fontes anunciou que sai do Bahia. “Estou num estágio que não tem sentido fazer outra função” disse. Fontes trabalharia com Ribeiro, sugestão da diretoria acatada pelo técnico Ferdinando Teixeira, contudo preferiu sai. “Alguém teria que comandar os trabalhos” - Informações do Correio -

Bahia e Vila estréiam novo treinador e artilheiro-vereador

Comentários
O jogo entre Bahia e Vila Nova nesta terça-feira marca o início da era Ferdinando Teixeira no Tricolor, o quarto técnico a assumir o comando do time nesta Série B. Nas estréias de Arturzinho e Roberto Cavalo a equipe conseguiu corresponder e conquistou a vitória. O desafio de Teixeira é superar o vice-líder do campeonato, time também do artilheiro do certame.

O Vila Nova tem 51 pontos na segunda colocação. Túlio Maravilha é o artilheiro e marcou 21 dos 45 gols da equipe. Nesta segunda-feira, Túlio acordou com uma nova função para próximo ano. Ele foi eleito vereador da cidade de Goiânia, com 10 mil votos. "É preciso estar bem-assessorado e ter o poder da caneta. Quis virar político por ter essa vontade de mostrar os meus projetos esportivos para a periferia de Goiânia. Espero que consiga expandi-los para o resto do Brasil", declarou Túlio.

Em situação bem diferente que o adversário, o Bahia ocupa a 11º colocação, com 39 pontos. O time vem de duas goleadas fora de casa consecutivas (4 a 1 Avaí e 5 a 1 ABC) e o novo treinador tem a missão de acertar a marcação da equipe e estabilizar a situação. O fantasma do rebaixamento está distante, mas um resultado negativo instala de vez a crise.

O time Tricolor está oito pontos à frente do 17º colocado, o América-RN, que abre a zona de degola. Um triunfo diante do Vila Nova deixa o Bahia próximo de afastar de vez o risco de voltar a Série C. Para voltar à Série A, seria necessário vencer oito das nove partidas restantes. Nem o mais fanático torcedor tricolor acredita nesse feito.

Disposto a encarar o desafio, Ferdinando Teixeira fez cinco mudanças em relação à equipe que perdeu o time jogo. Ávine volta a lateral-esquerda no lugar de Adílson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Na lateral direita, Rogério Rios ganhou a posição de Fábio. O meia Danilo Cruz entra no lugar de Caio, que também cumpre suspensão, e o volante Emérson Cris substitui Fausto, que foi expulso. A equipe vai jogar com três volantes.

No Vila Nova, Givanildo não pode contar com o lateral Fernandinho, que está suspenso. Para o seu lugar, Marcel deve ser o escolhido. Outro lateral, Osmar, ainda é dúvida, pois vem sendo poupado nos treinamentos. Com dores musculares, os experientes Alex Oliveira e Wando continuam sendo dúvidas de treinador. Para essas duas vagas, os favoritos são o meia Caíco e o jovem Pedro Júnior, respectivamente.

O time goiano pode perder a vaga no G-4 se tropeçar nesta terça-feira e uma combinação de resultados aconteça no complemento 30º rodada. No primeiro turno, o duelo com o Bahia terminou empatado por 1 a 1 no Serra Dourada.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Ferdinando comanda primeiro treino no Bahia

Comentários
O novo técnico do Bahia chegou a Salvador nesta segunda-feira pela manhã e foi apresentado à imprensa. Um dia antes, os auxiliares Gilberto Pereira e o preparador físico Ranieli Ribeiro já comandaram um treinamento com o elenco tricolor para transmitir as primeiras informações a Ferdinando Teixeira.

Teixeira vai comandar o primeiro treino com o grupo nesta segunda-feira à tarde e logo depois a delegação segue viagem para Feira de Santana, onde a equipe enfrenta o Vila Nova, nesta terça-feira, às 20h30, no Estádio Jóia da Princesa. O Bahia vai repetir a estratégia que deu certo diante do Juventude, quando o grupo viajou um dia antes para evitar o cansaço da viagem de uma hora e meia de ônibus e venceu o jogo por 1 a 0.

Ferdinando Teixeira já anunciou que vai ficar à beira do campo. Para o jogo, ele não vai poder contar com o lateral-esquerdo Adílson e o meia Caio, que receberam o terceiro cartão amarelo, além de Fausto que foi expulso contra o ABC. Esta foi a quarta expulsão de Fausto na Série B deste ano.

A única modificação certa é o retorno de Ávine à lateral esquerda, que cumpriu suspensão no último jogo. Após o primeiro treinamento sob a orientação do novo treinador, será definida a relação do atletas que ficam concentrados para enfrentar o Vila Nova

Pituaçu - Após ter embargado as obras do Estádio de Pituaçu na última sexta-feira, o Ibama atendeu à solicitação da Conder, órgão responsável pela obra, e autorizou a continuidade da reforma. O Ibama suspendeu as obras por falta de licença ambiental e prejuízo à área de mata atlântica onde o estádio fica localizado.

De acordo com a agência de comunicação do governo do estado (Agecom), se a obra continuasse parada, poderia "causar prejuízos ambientais e econômicos". As obras serão retomadas nesta segunda-feira, mas a inspeção da CBF, marcada para esta segunda, não poderá ser realizada. Isso descarta de vez a possibilidade da partida entre Bahia x Corinthians ser realizada no Estádio de Pituaçu, no dia 18 de outubro.

Vitória defende tabu de 17 anos contra o Botafogo

Comentários
Mesmo vencendo a última partida, o Vitória continuou a seis pontos do quarto colocado, o Flamengo, que tem 49 pontos. O time rubro-negro chegou a figurar na sexta colocação, mas com o encerramento da 28º rodada caiu para o sétimo lugar. Para continuar sonhando em voltar ao G-4, o Vitória precisa vencer o Botafogo nesta quinta-feira, às 20h30, no Engenhão.

O Botafogo não vence o Vitória há 17 anos, o último triunfo foi no Campeonato Brasileiro de 1991 pelo placar de 2 a 0. O problema é que o jogo é longe do Barradão e fora de casa o time rubro-negro disputou 14 jogos vencendo apenas três, empatou outros dois e perdeu nove vezes. Um triunfo contra o time carioca dá um fôlego ainda maior na luta por uma vaga na Libertadores.

Será um confronto direto por uma vag no G-4, já que o Botafogo também soma 43 pontos, mas está na nona colocação por ter um triunfo a menos que o Vitória (7º com 13 vitórias) e saldo de gols menor que o Goiás (8º). O elenco rubro-negro voltou aos treinamentos nesta segunda-feira pela manhã e o técnico Vágner Mancini tem todo o elenco à disposição.

Nesta segunda-feira, à tarde, a equipe treina novamente e o técnico Vagner Mancini começa a definir a equipe. O zagueiro Leonardo Silva volta ao time após cumprir suspensão automática. O setor ofensivo era o que vinha sofrendo modificações a cada rodada, mas com o bom desempenho na última partida, a dupla de ataque Marquinhos e Robert deve ser mantida.

Diretoria do Vitória desmente partida de inauguração do Estádio de Pituaçu

Com os crescentes boatos que diziam que o Vitória faria a partida de inauguração do Estádio de Pituaçu, contra o Flamengo, no dia 29 de outubro, o presidente do Esporte Clube Vitória, Alexi Portela, negou qualquer possibilidade de o fato acontecer. De acordo com Portela, a partida será mantida realmente para o Estádio Manoel Barradas, o Barradão.

Apesar de as obras no estádio terem sido retomadas ontem, não haverá tempo hábil para sua reinauguração ser no jogo entre Bahia e Corinthians. Por isso, surgiu a possibilidade de o governo convidar o Vitória. “Em respeito aos mais de 7 mil associados do programa de fidelidade ‘Sou Mais Vitória’ , que já pagaram ingressos até o final do Brasileiro, o Vitória jogará contra o Flamengo no Barradão”, enfatizou Portela. Informações do UOL/Tribuna da Bahia

Ferdinando Teixeira: O Técnico Operário

Comentários
Cinco goleadas sofridas nos últimos dez jogos. As chances matemáticas ainda existem. No entanto, jogadores e torcedores estão em alerta máximo depois do chocolate amargo com nome de cachaça “51” diante do ABC. Agora, só resta ao Bahia tentar recuperar sua imagem de grande clube do futebol brasileiro e evitar a queda para a Série C de 2009.

Ferdinando Teixeira. Este é o nome do técnico que recebeu dos cartolas a missão de salvar a equipa de um fracasso ainda maior na Segundona. A partir de um elenco limitado, o treinador otimista disse não ter dúvida de que poderá resgatar o prestígio do clube. “Meu objetivo é fazer um grande trabalho no Bahia. É um namoro antigo que tenho com o clube. Vou fazer o possível para tirar o time dessa situação. Pela sua história e pela sua torcida”, disse Ferdinando, em entrevista por telefone. O novo treinador chega amanhã e promete comandar o time já na próxima terça-feira, contra o vila Nova, em Feira de Santana. “Não vou assistir ao jogo da cabine não. Lugar de treinador e na beira do campo”, resumiu, com vocação operária.

Esperança era Pituaçu

Ferdinando ainda não tinha conhecimento do embargo da obras de Pituaçu pelo IBAMA, por falta de licença ambiental, em intervenções dentro do Parque Metropolitano. Ficou surpreso ao ser questionado sobre as dificuldades de atuar em Feira de Santana. “Pituaçu não vai ficar pronto em outubro não?”, perguntou, curioso com tanto atrso na conclusão da reforma.

O técnico afirmou que já conhece o campo do Jóia da Princesa e foi enfático. “Temos que jogar em qualquer lugar que tiver. Se só existe esse campo, vai ter que ser lá”, disse. Para conquistar o carinho da torcida tricolor, Ferdinando disse já ter a receita. “Vitórias. Torcedor gosta de ver resultado”, concluiu.

Clubes em que trabalhou

CRB de Maceió, Alecrim de Natal, América de Natal, Al Arabi do Catar, Santa Cruz Fortaleza Botafogo de João Pessoa, CSA de Maceió, Ceará. ABC de Natal e Bahia

Títulos e acessos

Campeão potiguar: 11 vezes, Campeão cearense: 2 vezes, Acesso à Seria A: 1996 com América de Natal Acesso à Série B: 1995 e 2007, com o ABC

Auxiliares trabalham

Ferdinando Teixeira só desembarca em Salvador na manhã de hoje, um dia antes da partida contra o Vila Nova, às 20:30 de amanhã. Ainda assim, já anunciou o seu lugar à beira do campo, trabalhando. Para isso, antecipou a chegada de sua comissão técnica, que comandou ontem o primeiro trabalho à frente do grupo tricolor.

O auxiliar técnico Gilberto Pereira de Lima e o preparador físico Ranieli Ribeiro passarão as primeiras informações ao novo comandante. O trio chega com missão de espantar o fantasma ainda distante do rebaixamento à Série C e, de cara, restabelecer a auto-estima tricolor depois da goleada por 5 x 1 diante do ABC.

Ainda hoje, será definida a permanência do preparador físico Eduardo Fontes, que a princípio integra o grupo de Ferdinando. O time não terá Adilson e Caio, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e Fausto, expulso pela quarta vez nesta Série B. O volante entrou na mira da galera no site de relacionamento Orkut.

Ávine retorna à ala canhota, sem concorrentes imediatos. O time realiza coletivo no Fazendão, à tarde, e antecipa a viagem para Feira de Santana. A idéia é repetir a estratégia de Bahia 1 x 0 Juventude. Tarde demais? O assunto é tratado de forma velada em Itinga, mas a preocupação com a Série C é crescente. Ainda mais em ano de eleição. Informações do Correio

domingo, 5 de outubro de 2008

O Bahia está a poucos metros de virar o Santa Cruz

Comentários
Bem amigos, aqui estou de volta para refrescar a memória de alguns e tentar reativar algumas idéias colocadas aqui e no Megafone ao longo de quatro anos.

Repetir o que todo mundo já sabe é chato, mas vale a pena: nas mãos de Paulo Maracajá e de suas laranjas que se dizem independentes - mas não se julgam incompetentes - o Bahia está a poucos metros de virar o Santa Cruz, caindo pelas tabelas até a série D.

O clube acabou, o time não existe e é ridículo imaginar que ainda existem alguns que se rebaixam ao ponto de chorar pelo clube, de achar que tem jeito. São estes os verdadeiros algozes, os que ainda insistem em manter os aparelhos ligados quando o Bahia já mostrou sua morte cerebral e com pouca coisa a ser doada.

Órgão podre não serve pra nada, apenas para matar o hospedeiro. O Bahia conseguiu façanhas inéditas no mundo do futenol: matou jogador, matou torcedores, se tornou uma grande massa falida, sem liquidez e sem condições sequer de pagar o que deve mesmo que fechasse as portas.

Se fosse uma empresa, seria obrigado a pedir concordata e um interventor ser nomeado imediatamente para gerir o que sobrou, afastando de imediato a direção e dissolvendo o conselho deliberativo, mas é o Bahia, o Bahia do voto de cabresto, da soberba e da vaidade, da torcida anencéfala e burra, de Binha caricato e palhaço. É o Bahia da imprensa que tenta se meter no clube - e agora estão inventando que Márcio Martins tem que ser o presidente do clube, logo ele que me chamou de assassino e escreveu no jornal A Tarde que "jamais teve tal pretensão". Se for homem de caráter, vai manter a palavra, mas caráter é um produto em falta na imprensa desportiva baiana, não é mesmo?

Comecei a escrever no Megafone em 2004, quando ainda estavam na série A, e naquela época sugeri alguns projetos: o "renda zero" fui eu quem bolei, mas foi colocado em prática de forma equivocada por alguns apressados e maculou a idéia.

Vi o clube cair de sete duas vezes aqui na Fonte Nova, inclusive o acachapante 7x0 pro Cruzeiro campeão. Série B em 2005, C em 2006 e 2007, B de novo em 2008 e espero que C em 2009 e D em 2010, porque somente assim os xiitas se imolam e largam o clube, deixando espaço para quem quer de fato fazer alguma coisa de útil pelo Bahia. Aquela invasão ao Fazendão foi pouco, deveriam ter dados mais tapas em todos, não deveriam ter poupado ninguém.

Este é sem dúvida o pior Bahia de todos os tempos: se fosse esse time ano passado, não tinha subido. Deveria ter ficado lá embaixo, porque esse ano não teria estádio pra abastecer o clube, e talvez a morte anunciada já tivesse acontecido.

Curiosamente, em 2005, ano em que o Bahia foi bem na Copinha com Ávine, Bruno César, Danilo Rios, eu sugeri que o clube abandonasse a disputa pelo Estadual e concentrasse esforços apenas na subida de série, porque a história mostra que, ou o time bate-e-volta, ou seja, cai e sobe logo, ou ele fica lá uma enormidade de tempo. À exceção daquela meleira do Fluminense - que agora vai cair pra B e consertar um erro histórico por ter passado direto da C pra A - todos os grandes que caíram voltaram logo: Palmeiras e Sport, Grêmio, Coritiba, Vitória (que fez uma longa jornada da A pra C e da C pra A direto, com louvor), mas o único renitente é o Bahia, o único que foi e ficou. E não foi à toa, não foi obra do acaso, nem falta de sorte; não foi por causa de gramado ensopado, nem mãozinha de arbitragem. Mas, voltando ao assunto, os "in"diretores tentaram ganhar o Estadual ao invés de treinar o time em 2005, e aí deu merda. Disse lá em cima, a soberba não deixa o clube respirar. Essa história de bicampeão brasileiro já mofou, vocês falam isso como se fosse ontem, ainda não acordaram pro 3º milênio.

E esta oposição que aí está também sofre da soberba, eles não querem o Bahia pra ver o clube crescer, eles querem o clube apenas pelo poder, para se auto-proclamarem "presidentes"; são que nem políticos: aspiram determinados cargos e só sossegam quando conseguem: Marcelo Nilo sempre almejou a presidência da ALB - e lá está, só sossegou quando conseguiu; Geddel sempre quis ser Governador, e está abrindo a mão enquanto Ministro pra ver se chega lá. Esta oposição é BURRA, e não merece crédito nem apoio. Aquela fantasiosa reunião que apelidaram de "Gigante tricolor" foi apenas ensebação, não deu em nada.

Mas deixemos as críticas de lado e partamos para as soluções, já batidas aqui centenas de vezes:

1) Declarar a insolvência do clube, pedir concordata, nomear um interventor (NINGUÉM CONHECIDO, PELAMORDEDEUS!!! NADA DE FERNANDO SCHMIDT, DE ADEMIR ISMERIM, DE CÉSAR OLIVEIRA, DE FENRNADO JORGE, DE NESTOR MENDES), afastar a presidência e dissolver o conselho deliberativo;

2) Considerar todos eles INIMIGOS PÚBLICOS DO BAHIA e impedir o acesso ao clube, a eleições e candidaturas, PERSONAS NON GRATAS AD ETERNUM;

3) Vender o que for possível do ainda restante patrimônio do clube: sede de praia, apartamentos, veículos e pagar dívidas trabalhistas e outras;

4) Reduzir custos com as divisões de base, trabalhando apenas com juniores, fechando as demais para economizar o que for possível - depois abre de novo, é temporário mas vai reduzir custos;

5) Demissão imediata de toda a comissão técnica - preparadores, médicos, enfermeiros (diga-se de passagem, o que tem de colega se lançando candidato a vereador não tá no gibi: Natan, Sapucaia, só faltou Marcos Lopes; só que hoje ser Bahia é perder votos, eles não viram isso?);

6) Reestruturar os estatutos do clube: nada de conselheiros-fantasmas nem voto de cabresto. Presidente, Diretor de Futebol e só. Sócios eleitores, um voto pra cada. Alguns critérios seriam adotados para salvaguardar o clube de, por exemplo, um Binha da vida se lançar candidato e ganhar, porque aí seria voltar no tempo;

7) Formar um elenco com projeção para resultados para daqui a cinco anos: um mesmo técnico, um elenco de base pescado no interior ou em outros estados, adotando uma fórmula européia que já mostrou que dá certo: o resultado só vem depois de anos de trabalho, não adianta juntar onze e achar que eles vão se tornar sumidades ou se tornarão um time do dia pra noite. Lembram de Sávio, Romário e Edmundo no que deu?

8) Construção do tão sonhado estádio, pra 25 mil pessoas. Nada de sonhos megalomaníacos, pés no chão. A própria torcida poderia colaborar em troca de benefícios, tais como camarotes, ingressos eternos, etc. Assisti a Copa da Uefa esta semana e vi um time de Chipre, Anostosis Famagusta parece, jogar no seu estádio, logo Chipre que é menor que o bairro de Cajazeiras mas tem um time com um estádio qualificado para a Uefa. E ainda tem gente que consegue abrir a boca pra falar mal do Barradão, pobres coitados...

9) Fortalecimeno da imagem do Bahia através de campanhas para captação de sócios, de patrocinadores. Um bom departamento de marketing que venda a marca Bahia com a propriedade que lhe é merecida.

Em cinco anos, o Bahia estaria forte e poderia voar alto, isto é garantido.

Podem usar as idéias de novo, eu não ligo, mas pelo menos quando o fizerem, lembrem de me dar o crédito, é o mínimo de honra que se pode esperar.

Por Duda Sampaio

Em dezembro, eleição é no Esporte Clube Bahia

Comentários
"Véspera do 5 a 1 que anteontem derrubou Roberto Cavalo e trouxe Ferdinando Teixeira, o quarto técnico do Bahia em quatro meses. Por telefone, de Natal, o diretor de futebol Ruy Accioly logo rebatia, ao ser introduzido sobre o tema: "Brincadeira um negócio desse... Tem que falar é do time. Tá muito cedo para eleição".

Também presidente do Conselho Deliberativo, cujos 323 membros são os únicos a poder escolher o futuro mandatário do clube, ele chegou a cobrar apuração semelhante no aqui-rival. O problema é que, além de a distância do rubro-negro para o primeiro colocado da Série A ser quase a mesma do tricolor para a zona de rebaixamento da B, o próximo pleito, lá, ocorrerá apenas no final de 2010, segundo explicou o assessor de imprensa do Vitória, Roque Mendes.

E, se por um lado ainda faltam dois meses para as coisas acontecerem no Esquadrão, como o próprio lembrou; por outro, "o cargo é um dos mais importantes do Estado", conforme ressaltou o ex-craque Bobô, hoje diretor-geral da Superintendência dos Desportos da Bahia (Sudesb).

Não por acaso, a sucessão de Petrônio Barradas - único dos 21 entrevistados a não ser encontrado de jeito nenhum, durante três dias - já mobiliza diversos setores da cidade. E, com o clube já sem chances de acesso em 2008, embora ainda existam nove partidas por jogar, o burburinho do processo tende só a aumentar.

DETALHE - Accioly é exatamente um dos mais comentados a concorrer pelo lado da situação. Acerto prévio entre os caciques Paulo Maracajá e Marcelo Guimarães, do mesmo grupo, mas de correntes divergentes, teria combinado que agora seria a sua vez. Porém, o cartola nega. E promete que não irá se inscrever.

"Se houve algum acordo, eles esquecerem de me consultar. Agora, vou participar da escolha e certamente apoiarei algum candidato", disse, garantindo não possuir "o menor desentendimento" com Maracajá (situação vira e mexe citada na imprensa), que assegura a recíproca ser a mesma.

Outra semelhança no discurso: ambos se anunciam partidários do "consenso". Voltando atrás do que declarou em sabatina promovida pelo Grupo A TARDE, no dia 20 de junho, o ex-presidente assegura que não vai mais concorrer. "Deveria se fazer um `chapão´, buscando a conciliação entre as partes, após uma ampla discussão", afirmou, preferindo não publicizar qualquer nome. "Meu pensamento é ser presidente do Tribunal (de Contas dos Municípios), já que, pelo rodízio estabelecido, eu seria eleito em janeiro com mandato de dois anos, prorrogáveis por mais dois", concluiu, conselheiro do TCM que é desde 1994.

Tudo para escapar do procedimento administrativo instaurado em julho pelo Ministério Público, acusam pessoas da oposição. Segundo a promotora Rita Tourinho, a mera investigação não lhe impede de assumir o novo cargo no Tribunal. Questão de presunção de inocência.

"Mas o processo está encaminhado e todas as nossas diligências já se efetivaram, como verificar o nome dele em atas de reuniões do Clube dos 13, da gestão 2005-2007. Quanto à quebra dos sigilos fiscal e bancário, a do Bahia já é suficiente e o Banco Central já foi oficiado", encerrou, referindo à suposta incompatibilidade de funções de Maracajá.

Nomes já começam a aparecer

Primeiro, em meio à Conferência Gigante Tricolor, organizada por setores da oposição, foi o nome do empresário Victor Ventin. Desde lá, entretanto, fevereiro deste ano, que o conselheiro já desmentia a especulação. Para completar, recentemente assumiu a presidência da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) e, aos amigos, voltou a negar qualquer possibilidade de participar da eleição.

Em seguida, sondagens especialmente radiofônicas versaram sobre o então superintendente regional da TAM, Davidson Botelho. A conversa era de que ele até toparia, mas a companhia aérea acabou de afastá-lo e seu destino, agora, depois de passar férias em Miami/EUA, deve ser trabalhar em Londres/ING. Deixou de ser cotado.

Candidato mesmo, oficial, ainda não há nenhum. Mas o engenheiro Fernando Jorge Carneiro admite repetir a tentativa de novembro de 2005, quando perdeu para Petrônio Barradas por 208 a 56. "Se forem os mesmos nomes de sempre, vou me inscrever e concorrer. Agora, se sair um nome de consenso, totalmente independente, que não seja liderado por corrente alguma nem ninguém, aí sim sou favorável à candidatura única".

Novamente nos holofotes tricolores durante a invasão do Fazendão, em junho, quando intermediou o acordo por eleições diretas em 2011, ao lado da torcida organizada Bamor, o famoso advogado eleitoral Ademir Ismerim é outro que deve vivenciar de maneira intensa o período sucessório. Inicialmente, refuta o seu nome. Porém, na parte final do papo, já chega a falar como candidato: "Se eu for presidente, vou limpar a área, modernizar o clube e colocar gestores profissionais. Quem entrar deve fazê-lo sem revanchismo, entendendo o valor histórico das pessoas do Bahia de hoje, mas sem esquecer de olhar para frente, de modo que a torcida possa acreditar e ajudar".

"FARSA" - Questionado sobre a eventualmente criticada relação com Marcelo Guimarães, o que lhe daria vantagem numa possível concialição entre situacionistas e oposicionistas, respondeu: "Comecei a advogar para Marcelo em 1989 e sempre tive uma relação boa, só que já fui também advogado da Bahia toda, seguramente em torno de 90% dos municípios. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Não vou jogar minha biografia no lixo para atender a interesses de A ou B".

Grupo que mais tem atuado politicamente junto ao clube, o Revolução Tricolor - que semana retrasada protocolou documento no Fazendão solicitando o número total de sócios tricolores, deu prazo de cinco dias úteis e até hoje nada -, diz que vai apoiar alguém, mas prefere esperar. Idem para as torcidas organizadas Bamor e Povão.

Porta-voz dos conselheiros "dissonantes", Jorge Pires cobra um governo de transição, enquanto o advogado César Oliveira não perdoa a cartolagem e diz que a sua corrente "não vai participar da farsa que aí está".

Ironias só não batem diretor da CBF

De Binha de São Caetano a Bill Gates, passando por Jesus Cristo, Santo Expedito, Bob Esponja, Capitão Nascimento, Daniel Dantas, Barack Obama, David Coperfield e "Didi Mocó Sonrisal Colesterol". Até o falecido Roberto Rebouças foi lembrado.

As brincadeiras de uma torcida já sem esperanças - somada à provocação dos rivais, que inúmeras vezes chegaram a pedir a manutenção da diretoria atual - marcaram a pesquisa interativa lançada no portal A TARDE On Line, responsável por uma participação recorde de internautas: 257 em menos de 48 horas.

Porém, se as eleições de 1º a 15 de dezembro fossem hoje, a maioria da torcida estaria apoiando o diretor de competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Virgílio Elísio. O presidente da Federação Bahiana na década de 90 recebeu 42 dos pulverizados votos (15,3% do eleitorado) - longe da unanimidade, porém mais que o triplo do segundo colocado Paulo Maracajá (12, ou 4,4%). Ao todo, 35 nomes "sérios" foram citados.

MÉDIO PRAZO - "Cada vez que essas manifestações ocorrem, fico mais, como eu diria, honrado, orgulhoso, alegre e feliz... com o seguinte agravante: são 100% espontâneas. Eu tô no Rio, não falo em rádio e nunca me coloquei como candidato", comentou Elísio, sem descartar a hipótese: "Tenho um compromisso aqui, de trabalho, mas fico brincando: um dia vou ter de encarar".

Ex-presidente do rival que, segundo o próprio fez questão de frisar, "foi o que menos perdeu para o Bahia no Barradão, apenas três vezes em 11 anos", Paulo Carneiro também agradeceu, aproveitou para alfinetar os dirigentes atuais do Vitória e contou que já havia percebido "esse tipo de solideraridade" nas ruas.

A primeira-dama Fátima Mendonça, por exemplo, riu, cutucou a direção azul, vermelha e branca e preferiu indicar o presidente da Ebal, Reub Celestino, enquanto o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, cobrou gestão profissional no Bahia e o ídolo Elizeu Godoy indagou, sobre se tornar o mandatário tricolor: "Quem não gostaria?".

APURAÇÃO
1º Virgílio Elísio - 42 votos
2º Paulo Maracajá - 12 votos
3º Fernando Jorge e Rui Cordeiro - 9 votos
4º Paulo Carneiro - 8 votos
5º Fátima Mendonça e Márcio Martins - 7 votos
6º Bobô, Edmilson "Pinto" Gouveia e Nizan Guanaes - 6 votos
7º Reub Celestino - 5 votos
8º Emílio Odebrecht, Fernando Schimdt e Ruy Accioly - 3 votos
9º ACM Neto, Euclides Almeida, Ednaldo Rodrigues, Elizeu Godoy, Petrônio Barradas, Victor Ventin e Zenildo Rodrigues - 2 votos

10º ACM Júnior, Ademir Ismerim, Adriano Miranda, Antonio Pithon, Beijoca, Cláudio Jambeiro, Edson Marinho, Edmundo Franco, Eduardo Ramos, Francisco Mendonça, Marcelo Zollinger, Rosalvo Castro, Valmir Assunção e Zé Eduardo - 1 voto

Fonte: Pesquisa A TARDE On Line de 2 a 3/10

Poder tem se alterado pelo País

Um idêntico grupo político controla o Bahia há pelo menos 29 anos. Salvo um breve intertíscio entre 1996 e 97 - para quem exclui da lista o mandato de Antônio Pithon, também bastante influenciado pela cúpula -, apesar de já ter alcançado a Série C do futebol brasileiro e estar há seis temporadas sem um título sequer, são invariavelmente os mesmos desde a saída de Fernando Schmidt, em 79.

O que chama a atenção, todavia, é que nas grandes agremiações do País a situação vem deixando de ser verificada. Paulatinamente, de uma forma ou de outra. Até o Vasco, quem diria, já não é mais tocado por Eurico Miranda, derrotado nas urnas após intervenção da Justiça fluminense, ao constatar irregularidades na eleição anterior.

No Corinthians, Alberto Dualib deixou de ser eterno, investigado pelo Ministério Público Federal depois da polêmica e frustrada parceria com o fundo de investimentos MSI. Terminou denunciado por crimes contra o sistema financeiro e renunciou.

PEDAGOGIA - A saída foi a mesma para o ex-presidente do Atlético Mineiro, Ziza Valadares, que não resistiu à revolta da torcida enfrentadas tantas decepções no ano do centenário. No último dia 19 , também sob apuração do MP, entregou o boné e deixou o Galo para outro atleticano.

No Coritiba, assim como no Botafogo, por exemplo, o rebaixamento à Série B foi "pedagógico". Trocou-se o mandatário, reformou-se o estatuto e a equipe coincidentemente foi evoluindo dentro das quatro linhas.

Gigantes do Sul, Grêmio e Inter são os clubes brasileiros com o maior número de sócios em dia: 48 e 53 mil, respectivamente. No Palmeiras, Mustafá Contursi saiu, democratizou-se o Verdão e o líder da Série A, hoje, vive efervescente momento eleitoral.

CITADOS PARA COMANDAR A NAU AZUL, VERMELHA E BRANCA SE MANIFESTAM

"Cada vez que essa manifestação ocorre, fico mais honrado, orgulhoso, feliz... Tenho um compromisso aqui, de trabalho, mas fico brincando: vai ter um dia que vou ter de encarar"

Virgílio Elísio, diretor de competições da CBF

"Meu pensamento é ser presidente do Tribunal, já que há um acordo e, em janeiro, eu seria eleito por dois anos. Para o Bahia, desejo um candidato de consenso, entre situação e oposição"

Paulo Maracajá, conselheiro do TCM

"Se forem os mesmos nomes de sempre, vou me inscrever e serei candidato. Se sair um nome de consenso, totalmente independente, aí, sim, sou favorável a uma candidatura única"

Fernando Jorge Carneiro, engenheiro e oposicionista

"Existem bonsnomes e destaco Fernando Schimidt, Virgílio Elísio, Victor Ventim e Valmir Assunção. Já fui candidato pelas eleições diretas e aposto nisso"

Rui Cordeiro, administrador e ex-vice-presidente social

"Fico honrado de ser lembrado, é sinal de que minha passagem no futebol não foi em vão. Espero que o Bahia possa encontrar uma pessoa que devolva o otimismo ao seu torcedor"

Paulo Carneiro, ex-presidente do Vitória

"Ninguém agüenta mais. O mundo todo tá querendo e promovendo democracia, e o Bahia fica nessa situação... Não dá para mim (risos), mas tenho um nome ótimo: Reub Celestino"

Fátima Mendonça, primeira-dama do Estado

"Já sou sócio, mas agora não tenho a menor condição de enfrentar a diretoria do jeito que as coisas tão, da maneira que o Conselho é dividido. Se a eleição fosse direta, aí, sim, topo"

Márcio Martins, radialista

"Nunca pensei sobre o assunto, embora nas ruas, nos e-mails que recebo e nos lugares onde viajo escute isso. Gostaria que a eleição fosse direta... O processo é muito complicado lá"

Bobô, ídolo histórico, hoje diretor da Sudesb

"O Bahia precisa de união, mas que ela seja de pessoas sadias. Acho que o grupo atual tem que perceber que não são mais pessoas benquistas pela torcida. A torcida quer e pede mudança"

Edmilson Gouveia, `o Pinto´, oposicionista

"A mudança pode e deve ser feita por um grupo de pessoas com o interesse de resolver as questões do Bahia. Não aceitaria assumir como uma solução para interesses pessoais"

Reub Celestino, presidente da Ebal

"Já fui perguntado e sempre disse que não sou candidato e não vou ser. Se houve um acordo entre Paulo e Marcelo, eles esqueceram de me consultar. Agora, vou participar da escolha"

Ruy Accioly, atual diretor de futebol

"A gente não pode perder esse momento, que deve ser de transição, e aproveitar a eleição para encerrar a fase de um modelo que se esgotou. Isso ocorreu no Brasil, pós-ditadura militar"

Fernando Schmidt, chefe de gabinete do governador

"Pode ser eu, Fernando Jorge, Reub... desde que, quem quer que seja, tenha o compromisso de fazer a união das oposições sem desprezar o atual grupo da situação"

Ademir Ismerim, ex-vice- presidente jurídico"

Nelson de Barros/Jornal A Tarde

sábado, 4 de outubro de 2008

Governo adota medidas para suspender embargo em Pituaçu

Comentários
O Governo do Estado, através da Conder, divulgou nota à imprensa, esclarecendo que foi surpreendido nesta sexta-feira (3), pela notificação do Ibama embargando as obras de reforma do estádio de Pituaçu. Pelo documento do órgão federal, faltava à obra licença ambiental para sua execução.

Na nota, a Conder deixa claro que, desde o dia 29 de janeiro deste ano, em reunião realizada com a Superintendência Municipal de Meio Ambiente, foram definidos os estudos necessários para o licenciamento. Tais estudos foram entregues no dia 04 de abril e, até então, a prefeitura não se pronunciou, o mesmo ocorrendo com a solicitação do alvará de construção.

A Procuradoria Geral do Estado e o departamento jurídico da Conder adotaram as providências necessárias, visando a suspensão do embargo e o imediato prosseguimento das obras de finalização do estádio. Ainda segundo a nota oficial, providências também estão sendo tomadas para evitar prejuízos de econômicos e ambientais no local da obra, em conseqüência do embargo.

A expectativa do governo é que esse fato seja rapidamente superado, a fim de que já no início da próxima semana as obras sejam concluídas e possam ser realizadas as vistorias previstas e necessárias para liberação do estádio

Outra goleada e o Bahia volta sem técnico

Comentários
A paciência da diretoria do Bahia com o técnico Roberto Cavalo chegou ao limite. Balançado no cargo desde o empate em Feira de Santana com o Ceará, o treinador não resistiu à segunda goleada consecutiva. O resultado de 5 a 1 sofrido na noite de ontem para o ABC, time que brigava para não cair para a Série C, no Estádio Frasqueirão, derrubou o treinador. Cavalo não voltará hoje com o elenco do clube para Salvador

Seu substituto deve ser Ferdinando Teixeira. O namoro entre a diretoria e o clube já vinha se arrastando há semanas. A contratação só foi adiada com o triunfo do Bahia por 1 a 0 sobre o Juventude, no dia 23 de setembro. No ano passado, Ferdinando foi um dos responsáveis pela classificação do Bahia para o octogonal final da Série C, quando comandava o ABC e empatou com o Rio Branco, no Acre, enquanto o Bahia ganhou do Fast na Fonte Nova.

O único empecilho para o acerto do treinador com o Bahia é a duração do contrato. A questão salarial já foi resolvida. No entanto, Ferdinando quer um vínculo com o clube até dezembro de 2009. Já a diretoria quer garantir o treinador apenas até o final do ano.

No jogo de ontem, Cavalo ainda tentou evitar mais um vexame. Mesmo com três volantes, no intervalo, o Bahia já estava perdendo por 3 a 0, com dois gols de Ivan e um de Jean. No segundo tempo, ainda esboçou uma reação com Adílson diminuindo. Mas, Ronaldo Capixaba e Fabiano Gadelha completaram a vergonha tricolor.

Humilhação parte VI - ABC 5 x 1 Bahia de Paulo Maracajá

Comentários

Pela sexta vez, apenas neste campeonato, os “valentes” da diretoria do Esporte Clube Bahia resolvem homenagear seus torcedores com mais uma goleada, desta vez para a modesta e inexpressiva equipa do ABC de Natal com direito ao tradicional grito de olé da torcida adversária.

Como as humilhações se tornaram uma rotina neste Bahia de Paulo Maracajá e Companhia, a pergunta também é rotineira: quantas humilhações, quantas goleadas, quantas cacetadas deste tipo serão precisas para sensibilizar os “valorosos” diretores do Bahia a se afastarem de vez do clube? O que mais será necessário para entenderem o mal que fazem ao Bahia, por incompetência, má gestão, inoperância, falta de credibilidade a todos os níveis, falta de respaldo do seu próprio torcedor? O que querem mais estes senhores? Enterrar o esqueleto tricolor?

Que mistério temos neste clube, para estes senhores insistirem em manter o Bahia afastado, num regime fechado á base de sete chaves e longe dos seus torcedores que, na verdade, são a razão de ser, o sangue e essência do próprio clube?

De que será que têm medo os “valentes” diretores? O que escondem as gavetas do alto de Itinga? Onde reside a lógica de se manter ocupando um espaço onde todos, ou quase todos, o querem ver longe, por conta dos sucessivos fracassos? Qual o preço deste sacrifício senhor Petrônio Barradas?

Confira a 29ª rodada da Série B

Terça-feira
Brasiliense-DF 3 x 1 Bragantino-SP
Barueri-SP 1 x 2 São Caetano-SP
Vila Nova-GO 0 x 2 Paraná-PR

Sexta-feira
Ponte Preta-SP 1 x 0 CRB-AL
Santo André-SP 2 x 0 Gama-DF
ABC-RN 5 x 1 Bahia de Paulo Maracajá

Ibama embarga obras de Pituaçu

Comentários
Depois das greves dos operários da construção civil, das chuvas nos meses de maio e junho, de uma ação do Ministério Público impetrada pela promotora Rita Tourinho, o governo do Estado enfrenta mais um imprevisto que vai atrasar as obras de recuperação, ampliação e modernização do Estádio Metropolitano de Pituaçu. Ontem à tarde o Ibama decidiu intimar a Conder e interditar as obras.

De acordo com o Ibama, não há licença ambiental para realização das obras, e houve dano à vegetação de Mata Atlântica na área do Parque Metropolitano de Pituaçu. A própria presidente da Companhia de Desenvolvimento do Estado da Bahia, Maria Del Carmen, já havia admitido a falta da licença, e que as obras foram iniciadas mesmo assim, por causa do curto tempo para entrega.

O secretário da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Afonso Florense, disse ontem à noite em entrevista ao jornalista Mário Freitas, na Rádio Excelsior da Bahia, que o governo do Estado fez o pedido, protocolado no Ibama no dia quatro de abril deste ano, e que o órgão ambiental federal não tinha se reunido e acatado a solicitação de licenciamento ambiental, até ontem, por falta de quorum dos seus dirigentes. “Eles nunca deram uma resposta do pedido protocolado desde o mês de abril”, disse o secretário Afonso Florense.

Por causa do descumprimento da legislação, a multa aplicada à Conder é de R$ 2,5 milhões. A entrega das obras de Pituaçu estava programada para o próximo dia oito, o quarto e último prazo dado por Maria Del Carmen para a conclusão da reforma, que se iniciou em janeiro. Na segunda-feira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) iria fazer sua inspeção inicial para liberar o estádio para a partida entre Bahia e Corinthians, no dia 18.

Para que esta partida seja realizada em Salvador, a reforma precisa ser concluída até o início da próxima semana. Isso porque, a CBF precisa dos laudos técnicos do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária antes do dia oito, o prazo máximo para a mudança do local do jogo, marcado inicialmente para o A?Estádio Jóia da Princesa, em Feira de Santana.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Torcedores querem impedir Bahia x Corinthians em Pituaçu

Comentários
Caso Pituaçu seja mando de campo do Bahia para o jogo contra o Corinthias, sem condições ideais, quatro torcedores poderão ganhar uma ação bem gorda. Argumentado no estatuto do torcedor, o processo corre no Juizado Cível do Consumidor. Coloca no banco do réus a Federação Baiana de Futebol e o Esporte Clube Bahia. Os pedidos atingem R$ 16.600 para cada pessoa que tiver a integridade física ameaçada e cobram destituição dos dirigentes citados. No total, são R$537 milhões caso haja 32.400 pagantes. Fora os juros e correção monetárias
A audiência estava marcada para segunda-feira, 6 de outubro, mas a assessoria jurídica tricolor adiou a conciliação para 16 de dezembro. Os ingressos colocados á venda continuam a serem devolvidos na sede de praia na boca do Rio.

Os dias passam

Os dias passam e o governo do estado continua a nutrir a esperança de Pituaçu abrigar o jogo Bahia X Corinthias, dia 18 de outubro. Hoje, ás 15h, encerra o prazo para a SUDESB enviar solicitação à CBF para a vistoria do estádio.

Ontem o Jornal Correio caminhou até o estádio para conferir a situação de pontos fundamentais para a partida pela série B. A impressão é que pouca coisa mudou desde a venda antecipada de ingressos, no dia 16 de setembro.

O cenário é de um canteiro de obras. Nuvens de poeira marrom, maquinas de cimento espalhadas, cabos de fiação fora do lugar, fendas para o sistema de esgotamento sendo abertas. Nem mesmo as sagradas arquibancadas foram finalizadas: alguns estão sob fase de alvenaria. Refletores, catracas e bancos de reservas sequer chegaram para serem instalados.

O chefe de gabinete do Governador, Fernando Schmidt, foi o único a falar sobre o assunto. Ele mantém a crença na liberação. “O que tenho ouvido é que obras como Pituaçu, ficam prontas de repente, quando as frentes concluem, como que por um passe de mágica” disse.

Os quesitos mais importantes para Schmidt são segurança e conforto. Neste ponto, ele se mostra intransigente. “Qualquer imprevisto negativo não será colocado em uso” garantiu. Bobô diretor geral da SUDESB, alega ter pouca responsabilidade sobre a decisão. “Minha função é encaminhar os ofícios do governo para a CBF.” disse. Sobre as condições do estádio. “passou a bola” “só a CONDER pode falar sobre isto” Informações de Pedro Caribé do Correio/Adaptado

Perfis sumiram, empresa também

A empreiteira RDA foi responsabilizada pela CONDER por permitir o furto de perfis metálicos que sustentam os refletores. Por isso a obras atrasaram. A empresa não é cadastrada no Sindicato das Empresas de Construção. No local, mistério: ninguém fala sobre o assunto.

Cuidado com o “tamborete de puta”

O Estádio de Pituaçu só poderia ser reinaugurado sem as devidas condições, como alerta um dos comentários do blog, se ainda estivessem os coveiros políticos a quem o Bahia babava o ovo (com os olhos revirados), mandando no Estado da Bahia. Nesse próprio texto, o governo atual já afirmou que não haverá improviso nesta obra, o que faz muito bem, afinal, ninguém é louco de fazer o jogo do Bahia, essa época já acabou, esse estádio tem que funcionar de modo que traga tranqüilidade e, depois de todas as vistorias e TESTES recomendados pelas normas de segurança, assim como foi feito no Engenhão.

Por isto acho que Pituaçu deveria funcionar apenas para o jogo de abertura do campeonato baiano de 2009, e o BAHIA pagando todas as taxas. O estádio tem que ser auto-sustentável, se assim não for será sucateado pelos coveiros de sempre, assim como o fizeram com a Fonte Nova. Principalmente se o “tamborete de puta” for eleito prefeito de Salvador (trampolim para o governo). Eles são capazes de destruir Pituaçu novamente, assim como fizeram com a construção original, apenas por pirraça e na pratica do jogo sujo da política partidária, simplesmente porque foi o adversário que reformou.

Confira a situação das obras de Pituaçu hoje

Tribuna de imprensa – Em Construção
Tribuna de Honra - Em Construção
Refletores – Não chegaram
Sistema elétrico - Em Construção
Esgotamento sanitário - Em Construção
Arquibancadas - Em Construção
Catracas eletrônicas - Em Construção
Gramado – Fixação
Vestiários - Em acabamento
Lanchonetes - Em acabamento
Vias de acesso - Em Construção

Bahia pega clima de tensão em Natal

Comentários
Um dos graves problemas deste país é de que o que não presta é facilmente copiado e rapidamente repetido. A exemplo do que fez uma torcida organizada do Bahia no Centro de Treinamentos do Fazendão, em Salvador e que já deveria ter sido extinta pelo Ministério Público do Estado, torcedores do ABC, em Natal, também com foguetes e rojões, invadiram o treino do time potiguar e agrediram comissão técnica e jogadores, exigindo reação do time que vem de duas derrotas consecutivas e está a três pontos da zona de rebaixamento para a Série C.

É neste clima de muita tensão e rivalidade que o Bahia entra em campo esta noite no estádio Frasqueirão, em Natal, em busca da reabilitação da goleada de 4 a 1 que levou do Avaí, em Santa Catarina, com um time bastante modificado pelo técnico Roberto Cavalo para afundar ainda mais o adversário ABC na sua crise e na luta contra o rebaixamento em 2009.

A fase está tão “dura” para o Bahia, que quase a delegação perde o vôo de ontem pela manhã com destino a Natal. Uma manifestação de moradores do bairro de São Cristóvão interditou o tráfego na rótula do aeroporto, e dirigentes, comissão técnica e jogadores tiveram que descer do ônibus, correr com as malas não mãos e pegar vários táxis para conseguir embarcar.

Na 11ª posição na tabela de classificação da Série B, com 39 pontos ganhos, o Bahia precisa da recuperação para também não se aproximar da zona de rebaixamento – tem três pontos a mais que o ABC – e garantir a permanência de Roberto Cavalo na direção do time.

O time titular só será oficialmente revelado pelo treinador minutos antes de a bola rolar no estádio Frasqueirão. Mas é certo que Darci volta ao gol, no lugar de Fabiano, e as duas laterais ficam com Fábio e Adilson. Nas demais posições o mistério permanece. O meio-campo poderá atuar com uma nova formação, composta por Willames, Marcone, Fausto e Caio, mas o volante Emerson Cris pode ser deslocado para a zaga. Caso isso aconteça, Rogério vai para o banco de reservas. Marcelo Ramos e Paulo Roberto deverão ser mantidos no ataque. Com informações da Tribuna da Bahia

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Com gols no início, Vitória vence e pula para o 6º lugar

Comentários
Depois de amargar duas derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro, o Vitória voltou a somar mais três pontos na noite desta quinta-feira, no Estádio Barradão, ao bater a Portuguesa por 3 a 1, com dois gols marcados antes dos dez primeiros minutos de jogo. Com o resultado em Salvador, o time baiano volta a sonhar com uma vaga na próxima edição da Libertadores da América, enquanto deixa os paulistas mais próximos do rebaixamento à Série B da competição nacional.

Com o 13º triunfo em 28 rodadas disputadas, a equipe comandada pelo técnico Vagner Mancini alcança os 43 pontos e passa a ocupar provisoriamente a sexta posição na tabela, com apenas três pontos abaixo do Flamengo, que ocupa o quarto posto e tem uma partida a menos.

Já a equipe do Canindé, que segue ameaçada de voltar a disputar a segunda divisão no ano que vem, permanece com 27 pontos e cai uma posição, passando da 17ª para a 18ª colocação. Ultrapassada pelo Ipatinga, a Portuguesa ainda pode ser superada pelo Vasco no final da rodada.

VÍTÓRIA
Viáfara; Rafael, Marcelo Batatais (Thiago Gomes), Anderson Martins e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Marco Antônio (Renan), Willians e Leandro Domingues, Marquinhos e Robert.
Técnico: Vágner Mancini.

PORTUGUESA
André Luis; Halisson, Bruno Rodrigo e Carlos Alberto; Patrício, Raí, Fellype Gabriel (Hevrton), thirson (Waguinho); Jonas (Washington) e Edno.
Técnico: Estevam Soares
Data: 02/10/2008
Local: Barradão, em Salvador.
Público: 5.586 pagantes
Renda: R$ 76.210,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo /SC(FIFA)
Auxiliares: Erich Bandeira /PE(FIFA) e Luis Alberto Kallenberger /SC
Cartões amarelos: Edno, Thiago Gomes

Briga entre torcidas continua aterrorizando os baianos

Comentários

A mais recente vítima da guerra de torcidas organizadas em Salvador continua internada no Hospital Geral do Estado (HGE). O tricolor Adelmare dos Santos Júnior, 20 anos, corre risco de ficar paraplégico. Integrante da torcida Bamor, ele levou um tiro no pescoço durante briga com componentes da torcida uniformizada do Vitória, Os Imbatíveis, no dia 6 de setembro, por voltadas 16h, no bairro de Nazaré, próximo à Escola de Engenharia Eletromecânica da Bahia. O local é conhecido por reunir briga entre as duas gangues.

De acordo com declarações de sua mãe, Edilene Santana, o tiro teria vindo de um carro, que estava com quatro pessoas a bordo. Os supostos acusados, identificados apenas como Bethoven, Fernando e Chico, teriam descido do veículo em direção ao grupo de torcedores do Bahia para brigar. Um deles sacou a arma e atirou na direção de Júnior, que não conseguiu fugir.

'Eu só quero que as autoridades tomem as providências cabíveis. Meu filho é um menino carinhoso, nunca se envolveu em brigas. Eu quero que a justiça seja feita', disse Edilene, que é psicopedagoga. Já o padastro, Dorival Pereira Maciel, não entende como as pessoas levam tão a sério o futebol. 'Nós moramos em uma cidade tão bela e os torcedores se preocupam com dois times tão ruins. Daqui a uns dias, estaremos iguais a São Paulo', explicou.

Torcedores confessaram o crime

Os acusados, reconhecidos por testemunhas, se entregaram e prestaram depoimento na 1ª Delegacia dos Barris, onde confessaram o crime. Mas a delegada do caso não enviou o inquérito para o Ministério Público. 'Fico revoltada. Enquanto eles bebem e riem nos bares, meu irmão está no hospital. Eles ironizaram até nos depoimentos', diz Edirlaine Santana, irmã de Júnior e estudante de direito. Informações de Miro Palma do Correio

Não basta apenas vencer a Portuguesa

Comentários
No último encontro com a torcida no Estádio Manoel Barradas, dia 14 de setembro, o time liderado pelo técnico Vágner Mancini venceu o Coritiba, saiu de campo na 6ª posição na tabela de classificação, e bem próximo do G-4. Hoje, porém, a situação é diferente. Após duas derrotas fora de casa, o Vitória está em 10º lugar, seis pontos atrás do 4º colocado, o Flamengo. Com isso deve contar com a ira do seu torcedor na partida desta noite contra a Portuguesa, às 20h30min.

Mais uma derrota nesta Série A do Campeonato Brasileiro pode acabar definitivamente com o sonho de disputar a Libertadores da América, em 2009. A partida de hoje à noite é o primeiro dos seis jogos restantes como mandante e não basta conquistar 100% dos pontos em casa para conseguir um lugar no G-4. O time rubro-negro ainda vai precisar ganhar pelo menos dois jogos fora de casa.

No duelo de hoje, entretanto, o time de Mancini tem tudo para sair de campo com o triunfo. A Portuguesa tem um retrospecto extremamente negativo nos jogos fora de casa, neste Brasileiro. Até agora o time só venceu um jogo longe da sua torcida e também tem seis anos sem vencer o Vitória no Barradão.

Para o jogo, o treinador só deve definir a equipe nos vestiários. Após o treino realizado ontem, no CT da Toca do Leão, Mancini afirmou que ainda tem muitas dúvidas para escalar o time. O ataque é o mais indefinido. O técnico não definiu qual a dupla titular. Ele pode optar por Marquinhos e Osmar; Osmar e Robert; ou Marquinhos e Robert. Mas, alguns indícios mostram que Robert deverá ter a oportunidade de começar jogando pela primeira vez. “O Robert precisa de chance para mostrar para que veio”, disse Vágner Mancini.

Na zaga, Anderson Martins, recuperado de uma contusão muscular, volta a atuar. Ele deve jogar ao lado de Marcelo Batatais, seu substituto em Goiânia, ou Thiago Gomes, porque Leonardo Silva está suspenso com três cartões amarelos.Com relação ao meio de campo, tudo indica que Renan não deve mesmo atuar. Segundo Mancini, o jogador, após uma contusão, não voltou a jogar no mesmo ritmo. Marco Antônio permanece na posição.

Nenhum jogador é insubstituível

Mais direto impossível. O técnico Wagner Mancini não deu margens as insatisfações dos jogadores Renan e Ramon, colocados no banco de reservas, e deu o recado. “ Eu vou ter responder curto e grosso: eu tenho 32 jogadores e nenhum é insubstituível” O comandante não gostou de jogadores terem admitido publicamente que estão chateados com a reserva. O time titular terá Marco Antonio e Leandro Domingues mais uma vez.

Curiosamente, Marco Antonio e Renan jogam juntos desde os 13 anos de idade, ainda nas divisões de base do São Paulo. Estouraram a idade de juniores no morumbi e foram emprestados ao Juventude, em 2006. Caminhos separados em 2007, e reencontraram-se este ano, na toca do leão, cada um tem 23 anos. Informações da Tribuna da Bahia/Correio